Alma Viajante  

Conhecendo o Mundo e Compartilhando Experiências

A primeira experiência de Voluntariado na Chapada Diamantina

De repente estou sobrevoando uma mata verde sem fim, e o comandante anuncia: "Tripulação preparar para o pouso". E eu olho pela janela, de um lado para o outro tentando encontrar algum vestígio de asfalto, pista ou estrada...e nada, sem sucesso. Penso..."onde será que ele vai pousar?" Após uns cinco minutos, já estou no aeroporto de Lençóis, uma espécie de rodoviária de tão pequeno - mas isso não tira seu charme, apenas deixa o início da viagem mais instigante. Todos esperam ansiosos olhando através da janela do segundo andar, pelos turistas da cidade grande, que vem em busca de paz, natureza ou muita aventura.



Acho que tem momentos da vida que temos diversos questionamentos, e novamente lá estava eu sem entender o porque de ainda trabalhar de uma forma em que não me identificava, o porque das pessoas/empresas fazerem falsas promessas e não cumprirem o seu papel, o porque de me sentir tão objeto em meio a um mundo corporativo tão restrito e fechado as novas possibilidades.


Na primeira oportunidade com preço bom de passagem, após combinar os dias de férias no trabalho, comprei a passagem para a Chapada Diamantina. E digo, que só fui para lá pela experiência maravilhosa que tive na Chapada dos Veadeiros, praticamente em menos de seis meses depois e para voluntariar por 15 dias.


Sim, a primeira viagem de voluntariado é marcante e principalmente essa, porque assim como em exatamente cinco meses antes quando fui à Chapada dos Veadeiros, apesar de já fazer movimentos, estava me sentindo cheia do trabalho, das pessoas ao meu redor, e dá vida na cidade grande. Tudo o que eu queria naquele momento, era relaxar no meio da natureza, e foi o que fiz em alguns momentos do voluntariado.


Através da Wordpackers fiz meu cadastro, apliquei e fui selecionada para a vaga de voluntariado em um hostel em Palmeiras, cidade localizada cerca de 53km de Lençóis, a principal cidade que serve de base para quem vai visitar a Chapada Diamantina.


Vários foram os medos, receios e bloqueios que tive até chegar lá..sobre ter viajado apenas uma vez sozinha, sobre não saber como iria ser esse momento, as atividades do voluntariado...eram muitos e muitos pensamentos que rondavam a minha mente agitada, mas eu sempre tentava focar a minha atenção no momento presente, para experienciar cada momento de forma única.


Essa experiência em si me trouxe a consciência de sempre irmos em busca de algo em nossas viagens, colocarmos um propósito para que ele seja atingido durante os dias fora de casa, porque foi em busca de uma resposta, que obtive ela. E era justamente isso que eu estava buscando, uma cidade afastada dos centros turísticos, sem muita agitação, para realmente colocar a cabeça no lugar e pensar na vida.


Levei um dos livros mais inspiradores que já li - Na Natureza Selvagem, e ali começaram meus dias de voluntariado, que foram leves, onde ajudava no restaurante, na cozinha, arrumando o estoque, e tinham alguns dias livres para conhecer as trilhas e cachoeiras da região, conforme iam aparecendo grupos e pessoas que eu poderia ir junto.


Foram dias de trilhas, cachoeiras, trilhas e mais cachoeiras, convites para ir ao Vale do Pati, a experiência de provar a culinária local com moqueca de jaca, banana da terra e palma - o cacto comestível, mas o momento em que eu mais amava eram os finais de tarde no redário onde os pássaros ficavam cantando nas primaveras floridas da Bahia.


E ao longo dos dias foram um misto de sensações...como a de querer ir embora, como querer ficar mais tempo, como a de me sentir mal por perder um dia todinho, porque passei a noite inteira indo pro banheiro depois de um acarajé, e no fim, ao voltar para o menor aeroporto que já vi, olhar o nome CHAPADA DIAMANTINA, encher os olhos de lágrimas, por um sentimento que não sabia muito bem definir na hora, mas depois senti e tive a certeza que um dia voltaria a este paraíso bahiano.


Na volta o ritual foi semelhante, após fazer o check-in e despachar a mala, fiquei ali sentada observando a mini rodoviária charmosa - aeroporto de Lençóis - Ba, cheia de fotos da Chapada Diamantina, com cachoeiras, trilhas e muitos animais. Fiquei ali por horas, escutando o silêncio, sentindo a energia do lugar e o meu pensamento era um só...Eu ainda vou voltar pra esse lugar..


SOBRE

Juliana Santos, que deseja mostrar a todas as pessoas, que viajar é mais do que conhecer lugares, é provar e compartilhar experiências! E que basta mudar a nossa visão sobre as coisas e lugares, olhando positivamente, que sempre teremos experiências engrandecedoras.

RESERVE SEU HOTEL 

SOLICITE SEU ROTEIRO PERSONALIZADO

ALUGUE SEU CARRO