Alma Viajante  

Conhecendo o Mundo e Compartilhando Experiências

O que as Castas Indianas podem nos ensinar?

Dias desses viajando aqui de casa, fiz descobertas incríveis sobre um país que admiro muito e tenho muita vontade de conhecer, a Índia.


Além de trazer uma cultura totalmente diferente da nossa ocidental, a Índia é um país que causa muita curiosidade ou repulsa em nós, justamente pelo tanto de diferença que vemos ao entrar em contato com suas tradições e costumes.


Lá nós somos convidados a nos despir de nossas crenças limitantes, e forçados a enxergar o mundo novo através das nossas diversas novas percepções.

Somos inspirados a sair da nossa zona de conforto, que nos mantem aprisionados em redomas onde somos iguais uns aos outros.



Ao observar e trazer aspectos de uma nova cultura para si, para seus conhecimentos, damos de frente com o novo, com o diferente, com o esquisito.

E as vezes não é bom sair da zona de conforto e dar de cara com aquilo que é diferente? E que aos nossos olhos é ruim?


Tive a oportunidade de conhecer um pouco sobre as castas indianas (e não vou aprofundar no tema, mas vou explicar sobre para conseguir seguir a linha de raciocínio aqui), que são formas das pessoas já nascerem com uma divisão social dentro da sociedade indiana, onde cada um tem seus deveres e direitos, por conta disso.


Então existem 04 principais grupos de castas, sendo:

- Brâmanes: sacerdotes e letrados;

- Vaixás: comerciantes;

- Xátrias: guerreiros;

- Sudras: servos, camponeses e artesãos.


Gostaria de compartilhar algumas informações sobre apenas dois destes grupos de castas, os brâmanes e os vaixás.


Os brâmanes são normalmente os mais cultos, que cuidam dos templos, que possuem muito conhecimento e estudo, e é a casta mais alta e importante dentro da sociedade indiana.

Tanto é que um brâmane não pode mentir, e se ele participa de um julgamento, a pessoa que está sendo julgada, normalmente acaba sendo absolvida, porque a palavra de um brâmane conta e muito.


Os vaixás normalmente são os comerciantes, que dentro da sociedade indiana já vem de geração em geração cuidando dos negócios da família, e por isso, normalmente os vaixás são os mais ricos de toda a sociedade indiana.


Mas o fato de serem os mais ricos dentro da sociedade, não faz com que eles não saibam de seus devidos deveres, como por exemplo, quando um brâmane entra em seu comércio, ele deve respeito, e deve se curvar ao brâmane, que tem uma casta mais alta.


O que quero trazer aqui é que: atualmente no Brasil, e em todos os países capitalistas, vivemos em uma sociedade onde quem tem dinheiro é o mais importante, é o que manda, é o que faz e acontece.

E é incrível reparar o quanto isso é diferente dentro da sociedade indiana.


O quanto podemos sair de dentro de nossas caixinhas e bolhas, para entender que não existe certo ou errado, e sim costumes, hábitos, formas de se viver, e tá tudo bem.

Mas o mais importante aqui é ter a noção de que existem outras realidades diferentes das nossas, e podemos ver isso através de conhecimentos e sabedorias de outras culturas, e também quando olhamos para algo simplesmente como um observador daquela nova realidade.


Veja a importância de adquirirmos conhecimentos sobre outras culturas, porque é isso que te faz abrir a mente e expandir a consciência.


E se você quiser mais disso, CLIQUE AQUI para mais informações.

Você sabia dessas diferenças dentro da sociedade indiana? Já tinha se atentado a tudo isso?



SOBRE

Juliana Santos, que deseja mostrar a todas as pessoas, que viajar é mais do que conhecer lugares, é provar e compartilhar experiências! E que basta mudar a nossa visão sobre as coisas e lugares, olhando positivamente, que sempre teremos experiências engrandecedoras.

RESERVE SEU HOTEL 

SOLICITE SEU ROTEIRO PERSONALIZADO

ALUGUE SEU CARRO