• Juliana Santos da Silva

Há um novo sentido em Viajar?

Assim como tudo, as viagens também evoluem.

Conforme nós seres humanos nos tornamos autoconhecedores de nós mesmos, vamos pedindo por experiências mais intensas e transformadoras.

Talvez aquele, sair de casa, pegar um avião, voar mais de 5 mil quilômetros, só para tirar foto e mostrar aos outros, não vá mais fazer sentido quando essa quarentena acabar.


Mas, explico...isso não vem de agora, mas vai aflorar com o isolamento social.

Pessoalmente, desde 2015 sinto isso. Viajar sempre foi conhecimento, sempre foi mais do que apenas mostrar para o outro. Além de uma viagem externa do corpo físico, sempre foi algo muito maior internamente, que muitas vezes é necessário até uns dias para conseguir digerir tudo o que acontece.


Neste mesmo ano, tive a viagem que transformou completamente a minha vida, e desde então venho mostrando para as pessoas esse novo sentido de viajar, inspirando-as para que elas também possam passar por essas transformações.


Você pode dar a volta ao mundo, conhecer mais de 200 países, mas se não evoluiu junto com esse número e com as milhares de fotos tiradas e postadas nas redes sociais, algo está errado.

Algo dentro de você não está desabrochando e permitindo integrar-se com esses lugares, e talvez você esteja agindo com um pouco de inconsciência, ou por estímulos externos.


"viajar é investir na própria sustentabilidade do ser."


Já estava sendo perceptível a forma como o mundo das viagens estava caminhando antes da quarentena. Com airbnb experiences, viagens que agregam valor e sensações para obter experiências significativas, onde o viajante não quer mais ser apenas o observador de tudo que acontece ao seu redor, e sim o protagonista da experiência com participação ativa.


O turismo de experiência pós quarentena vai vir com muito mais intensidade, porque as pessoas estarão sedentas por viagens, por contato e por vivenciar tudo que traga a sensação de um momento único e marcante.


As experiências vivenciadas de forma transformadoras, se tornarão a forma mais autêntica e procurada pelos viajantes que estão em um longo caminho de autoconhecimento, e daí ele passa a ser o colecionador de experiências que transformam, e não mais apenas o comprador de serviços.


Depois de muito chacoalhar pós quarentena, trabalharmos muito internamente questões pessoais, familiares e desafios externos, quando olharmos para fora novamente, vamos querer viajar com os olhos internos, com as sensações do coração e transformando cada célula do nosso ser.


Vamos desejar a intensidade que as transformações das viagens trazem, para aprendermos, evoluirmos e integrar tudo em nosso ser. Então vamos aproveitar bem esse tempo de quarentena, porque logo virão experiências de viagens transformadoras para todos nós. (: #issotambémvaipassar


10 visualizações